Skip to content
FundosImobiliarios.net

Taxa de Administração e Taxa de Performance: entenda tudo!

Taxa de Administração e performance

Dentre tantos tributos a serem pagos na esfera dos investimentos em geral, destacamos neste artigo os mais comuns.

Então fique por dentro dos valores cobrados e dos tipos de investimentos que requerem tais pagamentos.

Para que seu dinheiro renda de maneira satisfatória é preciso conhecer especialmente a Taxa de Administração.

Assim, será possível escolher de forma consciente e começar finalmente a participar do mercado financeiro.

O que é a Taxa de Administração

Essa cobrança é muito comum quando se aplica em fundos de Investimentos. Dessa forma ela é devida pois alguém irá administrar os recursos que forem aplicados.

Ela não é opcional e sempre tem seus descontos feitos diariamente. Por isto é fundamental avaliar bem antes de contratar um corretor ou instituição que realizará o serviço.

Uma das coisas que farão o valor dessa Taxa de Administração variar é o nível de complexidade do investimento. Isso significa que conforme a estratégia necessária para gerir aquele fundo maior também será a taxa.

Taxa de Administração

Como a Taxa de Administração é cobrada?

Ao solicitar um serviço é necessário pagar por ele e não é diferente no caso da contratação de uma corretora. Assim, a

Taxa de Administração será o valor pago para que alguém cuide dos seus investimentos.

Esse desconto é feito sobre o valor total investido. Logo, com a valorização da aplicação a taxa também será maior. De igual modo caso desvalorize diminuirá a cobrança proporcionalmente, contudo ela sempre será paga.

Para que serve a taxa de Administração dos fundos?

A Taxa de Administração irá garantir que seu investimento será conduzido por profissionais qualificados para desenvolver tal tarefa. São gestores que se capacitaram a fim de entender como o mercado financeiro funciona.

Então para não precisar se preocupar em quando vender ou comprar, você contrata o serviço. O mesmo servirá para pagar o trabalho daqueles que irão gerenciar seus fundos de investimento.

A Taxa de Administração é paga para o gestor trabalhar diretamente com suas aplicações. Assim como para cobrir gastos comuns de funcionamento de uma empresa.

Benchmark

Entender esse conceito é necessário para irmos adiante, pois ele será o parâmetro utilizado para definir muita coisa. O termo inglês que significa “referência” é o termômetro para avaliar resultados em investimentos.

O CDI (Certificado de Depósito Interbancário) é um indicador usado como Benchmark. Também o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) costuma ser um referencial.

Em outras palavras utilizar um Benchmark significa que seus rendimentos irão depender do valor daquele índice. Ou seja, conforme ele aumentar seu lucro aumenta e o contrário também é válido.

E o que é Taxa de Performance?

Este é um valor cobrado referente ao lucro que ultrapassar os rendimentos pré definidos baseados em um Benchmark. Dessa forma, como o nome sugere o pagamento dessa taxa irá depender do desempenho daquele que está gerenciando seus investimentos.

Importante destacar que esse valor a ser pago não é obrigatório, ou seja, o investidor é quem decide. Então essa escolha precisa ser feita com base em critérios e conforme o perfil de quem está investindo.

O valor referente a essa cobrança é uma forma de gratificar o gestor pelo seu esforço. Pois entende-se que o mesmo precisará ter maior dedicação para obter resultados melhores.

Embora muitos investidores se preocupem em escolher fundos com menos taxas nem sempre é a melhor opção. Porque essa taxa tratada por exemplo, é uma maneira de incentivar o gestor a trabalhar para o dinheiro render mais.

Toda vez que o lucro superar a meta, o valor que passar é considerado o excedente. Assim, se o investidor tiver optado por pagar a taxa será descontado 20% somente sobre o que rendeu além.

Também existe a linha d’água que busca compensar a situação, pois ela é um mecanismo de equilibrar as coisas. Desse modo, quando o lucro ficar abaixo do previsto, o que faltar será abatido nas próximas taxas.

Taxa de Performance

Quais fundos podem cobrar Taxa de Performance?

Nem todos os fundos de investimentos disponíveis no mercado podem cobrar por esta taxa. Isso porque a mesma só é permitida naqueles onde o gestor precisa participar de forma ativa e direta.

Não se encaixam neste perfil os investimentos de renda fixa, uma vez que eles são fundos passivos. Ou seja, não irão depender da atuação do gestor para lucrar mais ou menos.

Os fundos considerados de gestão ativa que também fazem parte do grupo de rendas variáveis, são os que tem permissão. Assim, eles podem cobrar pela taxa de performance, caso o investidor opte por isso.

Esse valor cobrado é independente da taxa de administração que é devida assim que você contrata o serviço. Então, a taxa que dependerá do desempenho do gestor será acrescida àquela que não é opcional.

Os fundos de investimento que se encaixam naqueles que podem cobrar taxa de performance são três. Observe que os grupos em que a referida cobrança pode ser efetuada:

  • Fundos Cambiais;
  • Fundos de Ações;Fundos de Multimercados.

Como são cobrados os custos nos Fundos de Investimento?

Cada uma das taxas é cobrada de forma diferente, inclusive varia de acordo com o tipo de investimento. Dessa forma, é preciso estar atento para descobrir as melhores taxas com menores custos. Observe as formas de cobrança mais comuns:

Administração

Essa sempre é cobrada e não depende se você obteve lucro ou prejuízo nas aplicações. Isso porque esse valor é devido ao gestor que tem o trabalho de comprar e vender os fundos escolhidos.

Quando o investidor opta por um fundo a Taxa de Administração será representada anualmente. Assim, 2% ou 3% ao ano, por exemplo, serão descontados.

Embora seja expressada anualmente essa taxa é recolhida todos os dias e sobre o valor total que foi aplicado. Ou seja, se for uma taxa excessivamente alta, pode trazer mais prejuízos que lucros.

Performance

Como essa taxa depende do desempenho do gestor sua cobrança irá ser de acordo com o lucro. Sendo que diferentemente da Taxa de Administração, a de Performance somente será cobrada quando o fundo render além do previsto.

O valor cobrado referente à taxa de performance sobre os fundos brasileiros é de 20%. E é importante colocar que esse ônus só é aplicado sobre o valor excedente. Ou seja, não poderá incidir sobre o lucro esperado inicialmente.

A mesma é cobrada a cada seis meses, nos casos em que a meta seja superada no referido período. Logo, essa é mais uma diferença em relação ao valor devido pela administração.

Taxa de Entrada e Saída

Alguns fundos de Investimento costumam ter em seus contratos uma taxa referente a novos depósitos ou a retirada. Também planos privados de previdência costumam se utilizar dessas taxas. Observe como elas funcionam:

Entrada

Embora essa cobrança seja rara ela pode ocorrer e se aplica conforme novos depósitos. Dessa forma, quando é colocado um valor adicional em um fundo já investido é cobrado um valor a mais.

Saída

Essa é uma forma de tentar estimular o investidor a não retirar o dinheiro investido antes do tempo. Assim é cobrada uma taxa caso se queira resgatar o valor precocemente.

Os mesmos são muito variados e dependem do quanto o investimento rende. Logo ela será maior em aplicações mais rentáveis e menor em um fundo com poucos lucros.

Taxa de Corretagem

Trata-se de um determinado valor que as corretoras cobram de seus investidores cada vez que um ativo é negociado.

Essa cobrança pode ser fixa ou então variar conforme a quantidade de transações.

Existem corretoras que não realizam essa cobrança para investidores que façam muitas movimentações. Assim, tendo um valor mínimo mensal alcançado o cliente fica naquele mês isento da mesma.

Taxa de Carregamento

Esta se aplica a alguns tipos de previdência privada. Desse modo, sempre que houver um depósito será descontada essa taxa. Sendo que o valor é utilizado nesse caso para cobrir despesas de administração e corretagem.

De acordo com o tempo de permanência do plano de previdência essa taxa tende a diminuir. Assim ela pode chegar a não ser cobrada. Os dois tipos mais comuns a que se aplicam essa taxa são os seguintes:

PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre);
VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre).

Outras taxas

Existem ainda outras taxas que podem vir a ser cobradas dependendo do tipo de investimento realizado. Dessa forma, temos pelo menos mais dois encargos como demonstrado logo adiante.

Taxa de Custódia

Um valor que é cobrado por bancos e corretoras para manter títulos na CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia). A mesma pode ser descontada mensal, semestral ou anualmente.

É comum que essa taxa seja requerida em caso de investimento no tesouro direto. Assim como em algumas ações e ainda em fundos de índices. Entretanto existem corretoras que não cobram por ela em alguns casos como o tesouro direto.

Taxa de Emolumentos

Essa é requerida pela CBLC e pela bolsa de valores e são compostas por custos de liquidação e negociação. Desse modo esse valor incide sobre ações de fundo de índice.

Tributação dos Investimentos

Tributação é o valor pago ao Governo Federal sobre os investimentos realizados. Sendo que os principais são IOF (Imposto sobre Operações Fiscais) e Imposto de Renda.

Interessante é que sobre a maioria das operações o Imposto de Renda é cobrado regressivamente conforme o tempo de aplicação. Assim, quanto maior o tempo menor o IR.

Para se ter uma ideia sobre a porcentagem, se o valor ficar aplicado por 6 meses a alíquota será 22,5%. Entretanto se o tempo ultrapassar 720 dias o valor cairá para 15%.

Importante colocar que alguns investimentos específicos ficam isentos dessas cobranças. É o caso das LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito Agrícola).