Skip to content
FundosImobiliarios.net

O que é Mercado Negro e como funciona?

Mercado Negro

Em todo o mundo há inúmeros tipos de práticas comerciais, entre elas, o Mercado Negro. A princípio, conhecido por suas práticas ilegais, é uma atividade que acontece ainda em diversos países.

O comércio deste tipo de mercado é de produtos falsificados, fruto de roubos e contrabandos. Ou ainda, obtidos por meio de violência. Logo, vão contra todos os tipos de regulamentação.

Ainda assim, com toda a ilegalidade, gera milhões de reais todos os anos, de transações que não são declaradas. Desta forma, fomentam e incentivam mais práticas criminosas.

Neste artigo abordaremos mais sobre o mercado negro, o motivo de seu surgimento e como acontece. Além de discorrer sobre seus malefícios e os outros tipos de mercados existentes.

O que é Mercado Negro?

O Mercado Negro é um tipo de comércio do qual não é autorizado pelas autoridades. Em resumo, é uma modalidade ilegal, com produtos que são vetados do mercado tradicional.

Por exemplo, é possível comprar no mercado negro drogas, armas, produtos falsificados e até mesmo animais. Logo, nada que está à venda no conhecido mercado branco, ou seja, o regulamentado, como as lojas físicas e online.

De modo geral, os produtos que compõe o mercado negro ou são falsificações ou roubo. Ou ainda, são proibidos em lei, como serviços de prostituição ou contrabando.

Negro é um termo escolhido para caracterizar o câmbio ilegal, do qual não utiliza as instituições financeiras autorizadas. Como os bancos ou casas de câmbio para as trocas financeiras.

Eles afetam diretamente a economia de um país. Afinal, geram atividade econômica, e de altos valores, porém os impostos não são pagos. Ainda mais por não ser uma atividade registrada.

Sua realização está totalmente fora de lei. Desta forma, caso agentes policiais autuem alguém nesta condição de venda poderá aplicar as penas cabíveis. Geralmente se dá por meio de prisão e indenizações.

Mercado Negro

O que motivou o Mercado Negro?

Inicialmente o Mercado Negro floresceu nos países em período de guerras. Devido ao controle excessivo do governo sobre as vendas, algumas vertentes surgiram.

Armas e outros tipos de produtos começaram a ser comercializados, de forma ilegal. Assim, este tipo de comércio foi ganhando força em diversos países e com tipos diferentes de mercadorias.

Com o aparecimento das leis que regulamentam o comércio, muitas proibições foram surgindo. Por exemplo, itens como drogas, armas e animais não puderam ser comercializados de forma legal.

Porém, devido o dinheiro que este tipo de mercado proporciona, ele continuou sendo difundido. Apesar de ilegal, vendas e trocas acontecem diariamente em todos os lugares do mundo.

Inclusive, há uma tendência deste comércio acontecer principalmente em países que são mais rigorosos com vendas. Desta forma, ele busca atender a demanda vigente no mercado, de produtos e serviços que foram proibidos.

Por mais que seja ilegal, vale ressaltar que há uma grande demanda para este tipo de mercado. Logo, são pessoas, em sua maioria, com alto poder executivo, sem preocupações com as ilegalidades.

Como funciona o Mercado Negro

A princípio, lembre-se que o Mercado Negro é uma atividade ilegal. Logo, sua realização se dá escondida, visto que seus autores podem ser presos. Para tanto, fogem de todos os tipos de fiscalização.

Não há lojas físicas ou virtuais que assumam estar relacionadas a este tipo de comércio. Porém, algumas fazem uso de produtos deste meio, devido aos menores preços.

Em geral, este mercado ilegal acontece por meio de contrabando ou facções. Ou seja, é necessário ter contato com pessoas que estão envolvidas neste tipo de ação e que disponibilizam os produtos.

Os pagamentos também são feitos preferencialmente em dinheiro vivo. Principalmente para evitar possíveis fiscalizações em contas bancárias, que poderiam evidenciar os esquemas e fraudes.

As mercadorias também são entregues da forma mais discreta possível. Por exemplo, casos como contrabando de animais ou drogas, são feitos escondidos e por meio de grandes esquemas.

Desta forma, não um processo único de transações no mercado negro. Assim sendo, cada organização possui sua forma de trabalho, que consiga evitar investigações policiais.

Tipos de mercados e diferenças

Não existe apenas o Mercado Negro como comércio. Também temos o mercado brando, o cinza, o vermelho e o rosa.

Logo, cada um deles possui particularidades específicas, em relação a mercadorias e formas de atuação.

Em primeiro lugar temos o mercado branco, que são todas as trocas comerciais que regulamentadas por lei. Por exemplo, você comprando uma maçã em uma feira de supermercado. Assim, não há nenhum tipo de lei sendo infringida.

Temos também o mercado cinza, com mercadorias legais, porém com canais de distribuição não autorizados. Em resumo, uma empresa compra um produto para revender, mas finge ser o consumidor final. Assim, está revendendo algo do qual não tem autorização para isso.

Já o mercado vermelho é o que se alimenta de produtos originados diretamente da violência. Enfim, podem ser roubo, contrabando, tráfico, entre outros tipos.

O mercado rosa é o que existe por meio de produtos e serviços de coerção e são difundidos pelo governo. Portanto, temos como exemplo o alistamento militar e impostos.

Por fim, há o mercado negro, do qual é feito de forma ilícita, especialmente em relação as transações financeiras. Bem como as mercadorias que o mantém, fruto de contrabando, falsificação, roubo e afins.

Malefícios deste Mercado

Por ser tratar de uma atividade ilegal, muitos malefícios estão ligados diretamente ao Mercado Negro. Por exemplo, devido a ele, muitos danos acontecem aos consumidores de modo geral, especialmente quem opta pelo mercado branco.

Inclusive, os consumidores estão se submetendo à produtos falsificados, que podem ser nocivos à saúde. Bem como drogas, cigarros, bebidas falsificadas, entre outros itens.

Também devemos considerar a competitividade ilegal que acontece entre vendedores ilegais e os regulamentos. Conforme previsto, o mercado ilegal consegue vender itens por valores bem menores e não precisam declarar impostos.

Ainda temos a exploração humana, de pessoas, em geral carentes, que são submetidas a trabalhos escravos neste comércio. Visto que por muitas vezes são as únicas oportunidades que encontram para gerarem renda.

Além disso, tem o estímulo à violência e crimes como falsificação e contrabando. Ou seja, enquanto há consumidores, haverá produção ilegal e crimes acontecendo de forma crescente.