Skip to content
FundosImobiliarios.net

O que é Mercado de Balcão? Descubra tudo sobre!

Mercado de Balcão

Nem só de Bolsa de Valores vive o mercado financeiro. Aliás, são muitas possibilidades para quem deseja investir, como, por exemplo, o Mercado de Balcão.

Em resumo, trata-se de um ambiente no qual acontecem operações financeiras que não são registradas na bolsa.

Assim, dando oportunidade de compra e venda para mais empresas.

Neste artigo vamos explorar mais sobre esta modalidade de mercado. Logo, saiba o que é, como funciona, seus tipos e as operações disponíveis. Também descubra qual a diferença entre ele e a bolsa de valores.

mercado de balcão

 

O que é Mercado de Balcão?

Mercado de Balcão é um termo relacionado ao mundo financeiro e dos investimentos. Resumidamente, é um ambiente do qual é possível e permitido realizar operações que não são registradas na Bolsa de Valores.

Entretanto, não é porque não estão registradas na Bolsa de Valores que não possuem fiscalizações ou controle. Na verdade, as transações também são checadas pela Comissão de Valores Mobiliários.

A organização e fiscalização desse ambiente se dá por meio das instituições participantes. Ou seja, o controle é feito pelos próprios integrantes deste modelo de mercado.

Há três principais características que definem bem este modelo de mercado para seu entendimento. São elas:

  • Não existe um espaço físico para que as negociações aconteçam;
  • Os registros das negociações são flexíveis, comparados a modelo como a Bolsa de Valores;
  • Há a possibilidade de negociar ativos que não são habilitados para investidores que optam pela Bolsa de Valores.

Atualmente muitas pessoas só têm acesso a investidores devido este modelo de mercado. Por exemplo, as empresas menores não teriam contato com estes capitais de outras maneiras.

Isto se dá pela série de exigências que são feitas na bolsa de valores. Logo, negócios menores não conseguem preencher estes requisitos e fazer sua presença.

 

Como funciona?

Para entender como funciona este mercado é importante lembrar de como é a descrição do ambiente. Aliás, o nome balcão se dá porque antigamente os ativos eram comercializados em balcões de corretoras.

Em resumo, no Mercado de Balcão as corretoras, distribuidoras e bancos de investimentos são responsáveis por conectar pessoas. Ou seja, aquelas que desejam vender e as que desejam comprar ativos.

Os registros de transações são feitos por instituições próprias, que foram criadas para esta finalidade. Desta forma, conseguem formalizar e gerir todas as atividades que acontecem.

Apenas a título de curiosidade, a primeira instituição criada com esta finalidade foi a SOMA, em 1996. Assim sendo Sociedade Operadora de Mercado de Ativos.

De modo geral, as negociações são eletrônicas e envolvem títulos, ativos e derivativos. Neste caso, a maioria é registrada pela Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados.

Também é válido ressaltar que as negociações neste tipo de mercado acontecem por meio de Broker dealers. Em suma, são profissionais nesta área, como corretores e negociantes, que possuem o conhecimento necessário para gerir as atividades.

Já em relação aos participantes, eles devem conhecer os termos de contrato, com suas particularidades. Após isso, poderão participar das possibilidades ofertadas.

Qual a diferença entre bolsa de valores e mercado de balcão?

Atualmente a legislação brasileira conta com três diferentes tipos de mercado em relação ao sistema de valores mobiliários. Sendo a Bolsa de valores e o Mercado de Balcão, organizado e não organizado.

Desta forma, se existem estas nomenclaturas diferentes é porque sua atuação e característica também é. Assim, para compreender melhor suas diferenças é necessário entender cada uma.

Bolsa de Valores é muito conhecida e também extremamente rígida em relação a regras e normas. Inclusive, há uma série de obrigações para que uma empresa possa operar neste modelo. Por exemplo:

  • Deve estruturar uma equipe ou área de relação com pessoas que investem;
  • É necessário adotar práticas e medidas de governança corporativa;
  • Apresentar demonstrações financeiras auditadas.

Porém, para cumprir essas exigências a empresa terá custos, motivo que faz com que optem pelo outro topo de mercado. Logo, inviabiliza especialmente as pequenas empresas.

Já o modelo de balcão, não é tão rígido, mesmo com o controle e fiscalização. Ou seja, permite a participação de uma gama maior de negócios, com regras mais flexíveis.

Mas, além das diferenças, esses mercados também possuem semelhanças. Afinal, são organizados e são fiscalizados por entidades autorizadas pela CVM, seguindo suas orientações.

mercado balcão e bolsa de valores

Mercado de Balcão organizado

Ainda sobre o Mercado de Balcão, há duas divisões de gestão, o organizado e o desorganizado. Apesar de possuírem a mesma finalidade, a forma com que são conduzidos difere de um para o outro.

Inicialmente falaremos sobre o modelo de mercado organizado, do qual possui uma estrutura determinada. Ou seja, tem uma organização para a negociação de títulos e valores mobiliários.

Em suma, há um sistema, de modo eletrônico, que permite a realização de operações de compra e venda. Assim, investidores e instituições podem processar suas ordens e fechar negócios sem problemas.

Como dito anteriormente, não há um local físico para que aconteça as transações financeiras. Desta forma, os negócios são feitos online e remotamente, portanto precisam de segurança.

Também pode ser utilizado o telefone para que as transações aconteçam, porém com supervisão. Logo, há alguns requisitos a serem cumpridos para que a empresa possa participar. Mas são mais simples que o da Bolsa de Valores.

Então, resumidamente, a forma organizada é aquela mais simplificada que da bolsa, mas que ainda sim conta com supervisão. Visto que envolvem transações e possui uma regulamentação da Comissão de Valores Mobiliários.

Mercado de Balcão desorganizado

Antes da criação e regulamentação da SOMA, o Mercado de Balcão acontecia sem qualquer tipo de registro. Ou seja, um modelo não organizado e sem restrições.

Apesar de já ter um novo modelo, o organizado, este ainda é um formato disponível para quem deseja investir. Inclusive, tem como principal característica transações efetivas entre agentes sem lançamento em sistema.

De certo modo, o modelo desorganizado dispensa registros e auditorias, sendo mais fácil de ser realizado. Também é um tipo de mercado que favorece a negociação de ativos que não são liquidados em outros locais.

Assim, as pessoas que investem têm uma possibilidade maior de vender instrumentos que não despertam interesse em outros locais. Aliás, as transações acontecem via telefone.

Corretoras de valores, distribuidoras e bancos de investimentos são habilitadas para atuar desta maneira. Bem como contam com intermediários para garantir a transparência nas negociações.

Este é um modelo adotado especialmente por empresas menores, que não cumprem os requisitos para a Bolsa de Valores. Logo, iniciam seus investimentos em outros modelos de mercado, até poderem migrar.

Por fim, atualmente ele é caracterizado pelos representantes intermediários na área. Ora estão ganhando experiência e crescendo como mercado para alcançar novos tipos de transações.

Como operar no mercado de balcão?

Antes de entender como operar neste tipo de mercado é essencial que saiba o que se opera nele. Em geral, prevê negociações de ativos, até mesmo de receitas estrangeiras no Brasil. Também são negociados:

  • Ações;
  • Debêntures (título de crédito);
  • Títulos e valores mobiliários que são emitidos por companhias abertas;
  • Cotas, especialmente em fundos de investimento;
  • Carteiras com ativos que são negociados em um modelo organizado;
  • Mais títulos e valores mobiliários que sejam autorizados e regulamentados pela CVM.

Sabendo o que é operado está no momento de entender como operar no Mercado de Balcão. De modo geral, os investidores que desejam realizar negociações devem começar buscando informações.

Pode ser diretamente em corretoras ou bancos que sejam clientes. Logo, devem obter informações sobre as regras de operação e sobre os negócios que podem ser executados.

As operações são realizadas de uma forma bem mais simplificada e desburocratizada, se considerar a Bolsa de Valores. Porém, é importante que escolha uma instituição habilitada para essas negociações.

Todas as transações envolvem dinheiro, ou seja, é necessário que conte com apoio, respaldo e a segurança precisa. Sendo assim, deve buscar uma empresa segura e que possa estar ao seu lado, tornando os processos mais transparentes.

Tipos de operações no mercado de balcão

Ainda dentro do Mercado de Balcão há diferentes tipos de operações, com nomes específicos que as caracterizam.

Logo, elas são diferentes devido as formas de onde de compra a venda. São as seguintes ordens:

  • Administrada: nela são definidas apenas a quantidade e as quais são as principais definições dos ativos. Seja dos que forem comprados ou vendidos. Inclusive, a ordem acontece segundo critério do intermediário;
  • Mercado: são estabelecidas a quantidade e quais são as características dos ativos ou direitos. Daqueles disponíveis para compra e para venda. Entretanto, a execução acontece apenas no momento em que for recebida por um intermediário;
  • Limitada: é executada apenas a preço igual ou melhor do que já definido pelo cliente;
  • Casada: nela existe uma ordem de venda de um determinado ativo, seguida por uma de compra de outro. Aliás, só pode ser realizada quando as duas transações puderem ser feitas ao mesmo tempo.
  • On-stop: é determinado qual o patamar de preço a partir de qual ordem de compra ou venda será executada.

Em resumo, todos esses tipos de operação são pensados visando facilitar e promover maior organização nas transações.

Desta forma, os investidores e empresa possuem mais segurança em seus negócios. Além de facilitar a auditoria e controle.