Skip to content
FundosImobiliarios.net

O que é um Investidor Qualificado e como se tornar um?

Investimentos estão cada vez mais em alta em todo o mundo. Afinal, as pessoas querem fazer com que seu dinheiro renda mais. Entre tantas opções, há o Investidor Qualificado.

Cada tipo de investidor possui uma classificação. Para tanto, há algumas diferenças e requisitos, além de quanto já foi investido por você. Desta forma, cumprindo as exigências, conseguirá alavancar ainda mais nesta área.

Neste artigo apresentamos tudo sobre este tipo de investidor. Como as exigências, benefícios e riscos. Acompanhe e descubra a seguir.

O que é um investidor qualificado?

Então, temos por conceito de qualificado a pessoa que cumpre aos requisitos propostos na instrução 539 da CVM.

Assim, por exemplo, é necessário que o investidor qualificado cumpra os critérios abaixo:

  • Esteja classificado como um investidor profissional;
  • A pessoa tenha um patrimônio de investimento que seja superior ou igual ao valor de um milhão de reais;
  • Apresente o documento assinado que comprova sua posição, ele é chamado de termo de investidor qualificado;
  • Tenha aprovação em exames de qualificação técnica;
  • Seja investidor autônomo de investimento, administradores de carteira, analistas ou consultores de valores
  • mobiliários. Entretanto, com certificação aprovada pela CVM;

Faça parte de clubes de investimento que tenha carteira gerida por um ou mais cotista.

Esta é uma classificação recente no mercado, implantada apenas em 2013. Objetiva-se com ela oferecer os investimentos corretos, de acordo com o seu tipo de perfil.

Assim, a Comissão de Valores Mobiliários ter maior controle e consegue oferecer mais proteção aos pequenos investidores. Afinal, muitos corriam riscos desnecessários, que poderiam causar grandes problemas financeiros.

Geralmente os fundos para investidores qualificados possuem alta rentabilidade e taxas menores. Desta forma, muitas pessoas vislumbravam estas ações, mas tinham resultados diferentes do esperado.

Diferença entre investidor profissional e qualificado

Algumas pessoas confundem investidor profissional com o qualificado, porém há algumas diferenças. O profissional do investimento deve ter investido pelo menos R$ 10 milhões, já o qualificado ao menos R$ 1 milhão. Ainda, os profissionais são caracterizados geralmente por:

  • Instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central;
  • Investidores que não residem no Brasil;
  • Entidades abertas e fechadas de capitalização;
  • Fundos de investimentos;
  • Agentes autônomos;
  • Analistas e consultores de valores;
  • Seguradoras e sociedades de capitalização;
  • Clubes de investimentos.

Administradores de FIIs

Desta forma, para que seja classificado como investidor profissional deve ao menos integrar um destes grupos. Além, é claro, te possuir mais de R$ 10 milhões em investimentos, que é o passo inicial.

Logo, há requisitos diferentes para Investidor Qualificado e o profissional, como apresentado acima. Porém, ser um qualificado pode abrir caminho para que no futuro alcance este outro patamar.

Assim, se deseja continuar na carreira de investimentos, deverá realizar cada vez mais ações, aumentando seus números. Apenas assim conseguirá ser um profissional reconhecido na área.

Investidor qualificado: Como se tornar um?

Então, como relatado anteriormente no artigo, para quem deseja tornar-se Investidor Qualificado no Brasil, o primeiro passo é ter ao menos um milhão de reais em patrimônio investido.

Em seguida, deverá solicitar o documento para assinatura, chamado de termo à sua corretora de valores e banco.

Inclusive, o documento deve ser assinado antes de investir em alguma ação desta categoria. Também, ao assinar este termo, o investidor atesta que possui conhecimentos sobre específicos para este público.

Ainda sobre as ações que devem ser feitas, está uma prova para comprovar seus conhecimentos sobre o mercado financeiro. Inicialmente são utilizadas certificações ou então cargos como agentes, associados de corretoras e analistas.

Também pode ser medido por meio dos módulos do programa de certificação de gestores da Anbima. De modo geral, o interessado será direcionado ao melhor meio para sua comprovação.

Objetiva-se com esses testes avaliar se o investidor está apto a aplicar em processos mais arriscados. Ou seja, se possui os conhecimentos necessários, essas provas só ajudarão a alcançar um novo nível.

Há cursos para pessoas que desejam ser qualificadas realizarem antes das provas. Desta forma conseguem preparar-se e ampliar os conhecimentos técnicos que serão cobrados.

Por exemplo, são cobrados temas como legislação de investimentos, noções de economia e formas de hedge. Logo, ter informações técnicas será essencial para alcançar uma boa pontuação.

Quem pode ser classificado como investidor qualificado?

Qualquer pessoa pode ser classificada como Investidor Qualificado, seja física ou jurídica. Entretanto, deve cumprir os requisitos já apresentados anteriormente. Por exemplo, ter investido ao menos R$ 1 milhão em patrimônio brasileiro.

Os classificados devem possuir certificados emitidos pela Anbima. A partir de uma prova. São válidos os seguintes certificados aos investidores:

  • Ancord para agentes autônomos;
  • CGA para gestores de recursos de terceiros;
  • CEA para assessores de investimentos;
  • CFP para planejadores financeiros;
  • CNPI para analistas de investimentos.

Além das certificações, a Anbima realiza uma análise de perfil dos interessados em serem qualificados. Na qual, determina quem é a pessoa física ou instituição financeira.

Logo, se for uma pessoa com perfil mais conservador, não deverá fazer parte dos qualificados. Isto devido os investimentos de alto risco. Já os mais arrojados podem ter uma carteira mais distribuída.

Com esta análise, os investidores estão mais protegidos de situações que possam trazer resultados negativos.

Inclusive, para fazerem parte deverão assinar uma declaração de quem possuem o conhecimento e experiência necessária para tal posição.

Vale lembrar ainda, que além dos investimentos, é necessário que o investidor possua o termo assinado. Desta forma, conseguirá comprovar sua posição no mercado financeiro.

As vantagens do investidor

É claro que ser um Investidor Qualificado oferece benefícios a pessoa física ou jurídica. Inicialmente, terá uma gama maior de investimentos à disposição, direcionados a sua categoria.

Além disso, a CVM permite que este tipo de investidor tenha acesso a alguns ativos. Que em geral são restritos ao público em geral. Como FIs direcionados ao exterior, certificados de recebíveis imobiliários e do agronegócio, entre outros.

Desta forma, aqueles que são classificados como qualificados possuem regalias e oportunidades especiais. Caso sejam bons investidores, conseguirão fazer ainda mais rendimentos do que anteriormente.

Também contam com uma variedade maior de investimentos disponíveis, com taxas de rentabilidade mais atrativas. Ou seja, há uma possibilidade maior de receber lucros nessas ações.

Inclusive, não há somente maior rentabilidade, como também taxas de menores valores. Então, é possível ganhar mais e gastar menos para alcançar esses resultados.

Devido as novas possibilidades é necessário ter cautela para que não cometa erros e investimentos arriscados. Assim, fazendo uso de seus conhecimentos para obter lucros em suas ações.

Portanto, para proteger os investidores é criada a classificação. Em suma, cada pessoa pode investir de acordo com seus conhecimentos, experiência e renda disponível.

Riscos do investidor qualificado

Um investidor também está propenso a riscos, e não seria diferente ao se tratar do qualificado. Logo, conhecer quais são é uma forma de previr de que eles se tornem realidade em sua vida.

Já sabemos que o Investidor Qualificado tem acesso a uma grande gama de investimentos. Assim, ao mesmo tempo que é benéfico, pode também ser um enorme risco a pessoa.

Afinal, é uma categoria da qual traz oportunidades que requerem um grande conhecimento técnico e específico. Ou seja, se a pessoa não possuir ela pode acabar cometendo erros e tendo prejuízos consideráveis.

Por exemplo, como a Comissão de Valores Mobiliários pressupõe que o investidor possui os conhecimentos necessários irá reduzir as explicações. Desta forma, se você não tiver todas as informações essenciais, pode estar exposto a um risco desnecessário.

Em contrapartida, os investidores comuns são expostos ao maior número de burocracia. Portanto, apesar de ser mais complicado, eles têm uma chance menor de ter erros, por serem mais instruídos.

Uma forma simples, mas eficaz de reduzir os possíveis problemas que podem ser causados é com conhecimento. Em suma, invista o possível em informações sobre o tema antes de iniciar seus investimentos como qualificado.

Conclusão

Bom, neste artigo foi possível saber mais sobre essa categoria de investidor e como tornar-se um. Afinal, é uma posição interessante e almejada por quem deseja investir, ainda mais pelas oportunidades oferecidas.

Em resumo, quando você atingir esta classificação, de investidor qualificado, é uma prova de que está mais apto. Ou seja, é o momento de fazer com que seu patrimônio cresça. Assim, conseguindo ainda mais lucros em suas operações e com taxas menores.

Considerando algumas oscilações no mercado financeiro brasileiro, esta é a melhor opção. Porque abre caminho para investimentos a nível internacional, que podem render bons frutos.

Logo, se deseja também ser um qualificado, comece a preocupar-se em atender aos requisitos da CVM. A fim de poder futuramente ocupar esta categoria e fazer uso de seus benefícios.

Faça uma análise de seus conhecimentos e se de fato está pronto para assumir este desafio. De acordo com todas as informações apresentadas, não esqueça que também existem riscos.

Caso mesmo com a análise esteja de acordo em iniciar esta mudança, comece a preparar-se para esta categoria.

Especialmente aumentando seus conhecimentos sobre a temática.

Por fim, invista e aproveite todos os benefícios. De tal forma que consiga alcançar resultados positivos e que façam a diferença em sua vida financeira.